A contaminação presente próxima ao leito do paciente influencia direta e indiretamente na ocorrência de infecção relacionada à assistência à saúde aumentando os riscos, o tempo da internação e o custo. Esse estudo apresenta o objetivo de descrever e discutir a contribuição da contaminação existente próximo ao leito do paciente para a ocorrência de infecções hospitalares bem como a interferência dos profissionais da área da saúde, por meio de uma pesquisa de revisão bibliográfica em base de dados disponíveis on-line e textos clássicos, no período de 2012 a 2014.

Os estudos avaliados demonstram que existem fortes evidências de que a contaminação presente no leito, nas superfícies dentro do quarto e nos objetos utilizados na assistência diária ao paciente, pode influenciar na transmissão de infecções e contaminação.

O emprego de novas tecnologias como as superfícies impregnadas de cobre, a desinfecção pós-limpeza terminal com o vapor de peróxido de hidrogênio e com a luz ultravioleta demonstraram ser eficazes, contudo uma avaliação de custo e benefício criteriosa deve ser realizada, observando o tempo necessário para essa limpeza ser efetiva, os profissionais envolvidos e as particularidades de cada instituição.

Apesar de várias opções de métodos comprovadamente eficazes de limpeza e desinfeção do ambiente próximo ao paciente, cada instituição deve fazer um planejamento e partir das dificuldades enfrentadas nas falhas dos processos de limpeza. Mais estudos são necessários para elucidar o tema.

 

Autora: ANITA MARIA FAUATE PAULUK