Objetivo: Identificar práticas relacionadas à Segurança do Paciente em uma Central de Material Esterilizado.

Metodologia: O presente estudo caracteriza-se como uma revisão bibliográfica sistemática, do tipo revisão integrativa. A coleta de dados foi realiza entre os meses de fevereiro e abril do ano de 2017, sendo utilizado como banco de dados eletrônico o Google Acadêmico e como descritores Segurança do Paciente e CME.

Os critérios de inclusão foram periódicos com publicação de textos completos, em português (por ser a língua vernácula da autora e devido a mesma ter conhecimentos primários em outros idiomas) e referências contendo exigências metodológicas e de publicação normalmente exigidas. Periódicos que não contemplaram estes critérios foram excluídos.

Resultados: O levantamento bibliográfico de acordo com os critérios estabelecidos incluiu na pesquisa oito publicações, sendo sete artigos e uma dissertação de mestrado. Para facilitar a tabulação dos dados e consequência análise e discussão dos mesmos, foram identificadas as seguintes categorias: assunto principal do estudo, palavras-chave, considerações sobre CME, considerações sobre CCIH e considerações sobre Segurança do Paciente.

De todos os estudos selecionados, apenas dois continham como descritores/palavras-chave os termos “CME” ou “Esterilização” e “Segurança do Paciente”. Um deles mencionava somente “Segurança do Paciente”, três somente “Esterilização” ou “CME”, e dois não se referiam nas palavras-chave a nenhum destes termos.

Considerações Finais: A ênfase atual sobre a temática da Segurança do Paciente é de grande relevância, principalmente nos meios acadêmicos e científicos. No entanto, não é comum relacionar a assistência segura a ser dispensada aos usuários dos serviços de saúde com a Central de Material Esterilizado.

Para que todos os tipos de atendimentos prestados, sejam eles corriqueiros, simples, urgentes ou emergentes e ainda os complexos sejam realizados com segurança e eficácia, é essencial que as atividades desenvolvidas pela CME – entendidas como cuidado indireto – sejam realizadas com afinco e responsabilidade.

Fica nítido neste apanhado geral de informações científicas, a relação entre o trabalho de enfermagem realizado na CME e seu impacto na Segurança do Paciente.

 

Autora: Suzeline Ferreira