A infecção pode apresentar um aumento agravante de mortalidade no âmbito hospitalar, por isso é necessário haver ações de enfermagem no controle e prevenção dessas infecções. O tema passa a ser de grande relevância, porém de poucas publicações específicas sobre o assunto proposto.

Esse estudo teve com objetivo descrever com base na literatura, a importância de realizar o controle de infecção hospitalar por parte da enfermagem, garantindo a assistência de qualidade. Portanto, optou-se pela revisão integrativa da literatura realizada nos meses de julho a setembro de 2015, a partir dos artigos científicos brasileiros, disponíveis na íntegra na base de dados (BIREME).

Foram usados três combinações de descritores: Infecção hospitalar, Prevenção e Enfermagem. A partir de critérios de inclusão e exclusão pré-estabelecidos, foram encontrados vinte artigos, dos quais se realizou o presente estudo. Nesse contexto, formalizou quatro categorias, os quais foram comparados na literatura disponível sobre o tema.

As categorizações envolvem o papel do profissional enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem, ações relacionadas à higienização das mãos, associada à prevenção, importância da utilização de EPI’s e a presença da comissão de controle de infecção hospitalar e sua importância.

Todas as categorizações envolvem os profissionais de enfermagem, como sendo os responsáveis pelo controle das infecções. Com isso a consciência e a responsabilidade, passa a ser de cada um, aumentando assim a qualidade de vida de todos.

Apesar do tema não ser muito publicado, é de extrema importância que se desenvolvam estudos sobre o presente assunto, para que assim cresça o conhecimento entre os profissionais de enfermagem, e se desenvolva na prática assistencial, reduzindo assim o número de mortalidade devido às infecções.

 

Autor: EMANOEL SEVERO