A infecção de sítio cirúrgico (ISC) é uma das principais infecções relacionadas à assistência a saúde no Brasil, ocupando a terceira posição entre todas as infecções nos serviços de saúde (BRASIL, 2009). O presente estudo teve como objetivo avaliar se equipe a cirúrgica utilizou a paramentação adequada para prevenção ISC por meio da implementação do checklist que contém os seguintes itens: antissepsia cirúrgica das mãos, uso do avental, do gorro e da máscara.

O procedimento adotado foi válido, permitindo reconhecer aspectos positivos e problemáticos. Este estudo foi desenvolvido em caráter descritivo, retrospectivo, com delineamento transversal e com abordagem quantitativa. O público alvo deste estudo foi à equipe cirúrgica, dentre eles: cirurgião, anestesistas, auxiliar médico e instrumentador.

As maiores inadequações estão referentes aos anestesistas no uso correto da mascara cirúrgica (90,6%) e ao uso do gorro pelos cirurgiões (95,8%). Entretanto, a realização da antissepsia cirúrgica das mãos foi o destaque nas adesões entre cirurgiões e instrumentadores (99,9%) e uma média global de 99,8% no período avaliado.

Os resultados deste estudo mostraram que em geral a equipe cirúrgica apresentou uma boa adesão ao uso das medidas de bloqueio no transoperatório, em 98,4% e uma não adesão de 1,6%.

Autoras: DIONISIA OLIVIERA DE OLIVEIRA, GRASIELI DE OLIVEIRA KRAKEKER e PÂMELLA OLIVEIRA DE SOUZA


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.