As úlceras por pressão são eventos frequentes, que acometem pacientes em diversas situações, principalmente os expostos a fatores de risco. São eventos preveníveis , ligados à qualidade assistencial. Entre as complicações, destacam-se o prolongamento do tempo de internação, aumento de custos, infecção secundária, e até mesmo óbito.

Neste trabalho, foram avaliadas a incidência e a prevalência das úlceras por pressão em pacientes internados em um hospital de atenção ao idoso, num período de sete meses, logo após a inauguração do hospital. A incidência variou de 3 a 16 %, e a prevalência de 11 a 34 %. A maioria dos pacientes avaliados (64 %) tinham acima de 70 anos. Os idosos são os principais acometidos por úlceras de pressão, pois agregam vários fatores de risco (imobilidade, redução cognitiva, desnutrição, alterações na pele próprias da faixa etária , umidade devido ao uso de fraldas).

Mesmo com tais fatores, a incidência encontrada foi inferior a valores de estudos de incidência brasileiros, sugerindo que medidas específicas de atenção podem reduzir sua ocorrência . Quanto à prevalência, os valores mais elevados apontam para o atendimento pré-hospitalar inadequado em termos de medidas de prevenção, e para a mudança de perfil dos pacientes atendidos, com doenças crônicas e envelhecimento.

 

Autora:  ANA LÚCIA ALVES SCHMIDT