A sepse neonatal é definida como síndrome clínica caracterizada por sinais sistêmicos de infecção acompanhados pela presença de bacteremia no primeiro mês de vida, constituindo um dos grandes problemas da UTI Neonatal, apresentando alta taxa de morbimortalidade em decorrência de distúrbios associados ao ajustamento à vida extrauterina, como fatores associados a condições de nascimento, prematuridade, e internação na unidade.

O objetivo desse estudo está em realizar uma revisão crítica da literatura sobre sepse neonatal publicados até o momento sobre condutas de enfermagem para prevenção de sepse, tendo como relevância a contribuição que o mesmo trará após sua conclusão para demonstração dos benefícios. Após o levantamento bibliográfico de 25 publicações, conclui-se que as identificações dos fatores de riscos associados ao diagnóstico precoce de sepse neonatal e medidas de prevenção através da atuação eficiente da enfermagem poderão contribuir para a realização de intervenções para a diminuição da mortalidade do neonato.

 

Autoras: Regina Célia Lima da Silva e Sirlene Mendes Vieira