Produto para pré-umectação de Produtos para Saúde (PPS), disponibilizado pelos fabricantes como produto para pré-lavagem com a finalidade de prevenir a aderência de matéria orgânica na superfície dos PPS, foi avaliado quanto ao seu impacto agregando valor para se ter PPS mais limpos.

O objetivo do presente estudo foi comparar a limpeza final dos instrumentos cirúrgicos, por método manual e automatizado, do grupo que foi submetido à pré-umectação da matéria orgânica na sala operatória com aqueles que não passaram pelo processo desta pré-umectação a fim de subsidiar tomadas de decisão do enfermeiro gestor de CME.

A pesquisa caracterizou-se como estudo de campo, aleatorizado e cegado. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Instituição local do estudo e foram analisados um total de 36 instrumentos cirúrgicos aleatorizados em 6 grupos de trabalho, sendo 4 submetidos à préumectação (com produto comercial e água borrifada, ambos por limpeza manual e automatizada) e 2 grupos controle sem nenhuma intervenção de pré umectação, também submetidos a limpeza manual e automatizada. Os instrumentos de cada grupo, em triplicata, foram limpos seguindo Protocolos Operacionais Padrão.

Os resultados permitiram concluir que manter o material umidificado com o produto comercialmente disponível para pré-umectação ou com borrifamento de água para evitar o ressecamento da matéria orgânica com a intenção de facilitar a limpeza dos instrumentais cirúrgicos, não impactou na limpeza final, caracterizando, portanto, uma opção dentro do Protocolo Operacional Padrão de limpeza dos instrumentos cirúrgicos.

 

Autoras: Deisemara Monteiro, Leiriana Ximenes Martins Maraccini e Kazuko Uchikawa Graziano