A falta de higiene bucal, nos pacientes pediátricos críticos, pode levar ao agravamento do quadro sistêmico, uma vez que a presença de biofilme dental pode desencadear a Doença Periodontal e a colonização da orofaringe por microrganismos potencialmente patogênicos, aumentando o risco do desenvolvimento de pneumonia, além do fato de a Doença Periodontal envolver mecanismos imunológicos que podem alterar o curso de várias doenças.

Neste aspecto, é de fundamental importância a manutenção da saúde bucal, uma vez que nos pacientes intubados os mecanismos de defesa naturais estão prejudicados, e estes se apresentam parcial ou totalmente dependentes de cuidados. Na prática, o que se observa é a negligência deste cuidado pela equipe de enfermagem, a falta de informação e inexistência de protocolos, aumentando o risco do desenvolvimento de pneumonia nosocomial, elevando o tempo de permanência na UTI, tornando maiores os custos com o tratamento e implicando no aumento da morbimortalidade das crianças em estado crítico. Contudo o que se observou é a quantidade escassa de pesquisas relacionadas aos cuidados específicos de enfermagem nesta área.

 

Autoras: LYGIA MARIA VAZ DE CARVALHO e PAULA DANIELA RODRIGUES BUENO