O Dr. Victor Rosenthal consolida dados, a maioria de países em desenvolvimentos, sobre utilização de procedimentos invasivos e as infecções relacionadas no International Nosocomial Infection Control Consortium. Seus dados servem como uma alternativa interessante para comparação dos indicadores obtidos nos hospitais brasileiros, por estarem mais próximos de nossa realidade assistência e socioeconômica. No artigo anexo temos o consolidado mais recente.

Embora os dados sobre utilização sejam próximos aos do NHSN, a densidade de infecção é bem maior. Por exemplo as densidades de infecção por mil procedimentos dia comparados ao NHSN apresentados entre parêntesis foram: acesso vascular 4,1‰ (0,8‰); ventilação mecânica 13,1‰ (0,9‰); sonda vesical 5,1‰ (1,7‰). Também os dados sobre resistência microbiana em hemoculturas são maiores:  Pseudomonas resistentes a amicacina 29,9% (10,0%) e a imipenem 44,3% (26,1%);   Klebsiella pneumoniae resistentes a ceftazidima 73,2% ( 28,8%) e a imipenem 43,3% (12,8%). No corpo do artigo anexo encontramos os percentis obtidos além de outras informações.

Resenha: Antonio Tadeu Fernandes