As infecções de sítio cirúrgico em artroplastias de quadril e joelho são complicações temidas por causarem grandes impactos na qualidade de vida dos pacientes, trazendo consigo altas taxas de morbidade, mortalidade e custos assistenciais.

A identificação dos fatores de risco para estes procedimentos se faz necessária para a adoção de medidas de planejamento e estratégias no controle e no monitoramento destas infecções, minimizando assim sua ocorrência e fortalecendo os princípios da segurança do paciente.

Partindo desta premissa, os objetivos deste trabalho incluem identificar os aspectos epidemiológicos das infecções de sítio cirúrgico em cirurgias ortopédicas de artroplastia de quadril e joelho e descrever suas medidas preventivas. A metodologia utilizada foi a revisão integrativa da literatura científica em bases de dados na Biblioteca Virtual de Saúde, nas fontes LILACS, Medline e BDENF, no período de setembro de 2017, com critérios de inclusão e uso de descritores pré-selecionados.

Os resultados indicaram 14 artigos nos quais foram segmentados nas vertentes: medidas de prevenção de infecção pré-operatórias, intra operatórias, pós-operatórias e vigilância epidemiológica. Evidenciou-se que as boas práticas na prevenção de infecção de sítio cirúrgico em cirurgias de artroplastia de quadril e joelho podem ser generalistas ou específicas e que há a necessidade de realização de mais estudos prospectivos, randomizados e controlados para determinar a eficácia e o custo benefício de todas estas intervenções. No que confere a vigilância epidemiológica, há um cenário multifacetado, com prevalência de maiores índices de infecção em artroplastias de joelho quando comparadas a de quadril.

 

Autora: RAFAELLA REBELLO