O profissional farmacêutico está inserido no âmbito hospitalar através da equipe multidisciplinar com o conhecimento na prática de seleção, promoção e uso seguro e racional de medicamentos, bem como na padronização de fármacos utilizados no ambiente hospitalar.

No que se refere ao uso de antimicrobianos, este profissional atua na verificação de doses, vias de administração, tempo de utilização, interações e associações medicamentosas, a fim de racionalizar a terapêutica empregada. Interações medicamentosas são definidas com a regulação da atividade farmacológica de um fármaco administrado prévia ou concomitante de outro medicamento, porém os mesmos podem interagir nos processos farmacocinéticos e farmacodinânimos que os envolvem durante a sua ação terapêutica ocasionando em alterações dos efeitos desejados. Neste sentido, o presente estudo objetiva discutir a produção científica acerca da atuação do profissional farmacêutico frente às interações medicamentosas entre antibióticos no âmbito hospitalar, fornecendo subsídios para a equipe multidisciplinar quanto ao uso seguro e racional destes fármacos.

Concluiu-se que os farmacêuticos devem ter responsabilidades na monitorização das interações medicamentosas e notificar quais as sua consequências, fornecendo esta informação à equipe multiprofissional. É fundamental que o parecer dos farmacêuticos seja exercido com espírito crítico, garantindo que o beneficio-efetividade do fármaco seja superior ao risco do dano causado pelas interações.

 

Autora: Lisiane Steglich Bernardi