O presente estudo teve como objetivo geral destacar as medidas de prevenção a serem adotadas para controle da disseminação de micro-organismos multirresistentes no ambiente hospitalar, utilizando os critérios para o isolamento de contato.

Os objetivos específicos foram aprimorar os conhecimentos acerca dos mecanismos de transmissão e resistência microbiana, abordar as medidas de precaução e isolamento de contato em pacientes infectados ou colonizados por micro-organismos multirresistentes e descrever a atuação do enfermeiro na assistência ao paciente em isolamento de contato, devido à colonização ou infecção por micro-organismo multirresistente.

A pesquisa justifica-se pelo fato de que a resistência bacteriana tornou-se cada vez mais prevalente nos hospitais, aumentando a mortalidade e morbidade decorrente dessas infecções, sendo relevante o conhecimento inerente às medidas de precaução e isolamento de contato visando à diminuição da disseminação desses micro-organismos. A metodologia utilizada é de cunho bibliográfico com abordagem qualitativa, de caráter descritivo e aspecto exploratório, tendo-se pesquisado sobre precaução e isolamento, transmissão de micro-organismos multirresistentes, resistência bacteriana e assistência de enfermagem.

A conclusão indicou que as adoções de medidas de precaução e isolamento de contato a portadores de micro-organismos multirresistentes, quando adotadas de forma integral pela equipe assistencial evidencia uma redução nos índices de morbimortalidade. Sendo o enfermeiro, como gestor de equipe, responsável em garantir que essas medidas sejam executadas, uma vez que 90% dos autores pesquisados correlacionam resistência bacteriana, precaução e isolamento com os cuidados assistenciais.

 

Autora: Euzely Gonçalves Soares Santos

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.