A apresentação deste trabalho tem como objetivo comprovar que após o término dos procedimentos cirúrgicos, vários profissionais de saúde não percebem que encaminham à Lavanderia alguns instrumentos cirúrgicos ao invés de encaminhar para a Central de Material e Esterilização onde serão reprocessados. Esses instrumentos seguem aderidos aos campos, roupas e compressas cirúrgicas.

Devido às atividades funcionais que exerce, nenhum profissional de saúde assume a responsabilidade de se comportar com certa distração ou desatenção no uso e manuseio dos instrumentos. A falta de percepção desses profissionais pode causar Acidentes com Instrumentos Pérfuro-cortantes (AIPC), pois são eventos comuns aos profissionais de saúde e os servidores mais susceptíveis a esses tipos de acidentes de trabalho com instrumentos pérfuro-cortantes são os servidores da Lavanderia no momento da recepção, separação e classificação das roupas sujas.

É nesse momento que eles localizam e retiram os objetos estranhos que podem estar aderidos ou presentes nas roupas. Depois de recuperados, esses materiais são encaminhados aos seus respectivos destinos e os instrumentos cirúrgicos entregues à Central de Material e Esterilização para serem reprocessados e recolocados em circulação.

 

Autor: CLEBER DOS SANTOS PINTO