O ambiente hospitalar é hostil e propício ao desenvolvimento de infecções. A utilização maciça de antibióticos, bem como, outros medicamentos pode levar ao surgimento de cepas bacterianas resistentes. Fato que torna necessário a avaliação da suscetibilidade dos microrganismos frente aos antimicrobianos.

O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de microrganismos isolados de diferentes materiais biológicos provenientes de pacientes internados em um hospital de Porto Alegre/RS, bem como, avaliar o perfil de sensibilidade destes agentes patogênicos.

As amostras clínicas foram coletadas de pacientes internados durante o período de julho de 2013 a julho de 2014. A identificação dos microrganismos foi realizada através de testes bioquímicos manuais, ou em aparelho de automação. O perfil de sensibilidade bacteriana foi determinado através do método de difusão em disco, ou em aparelho de automação.

O microrganismo com maior prevalência presente em amostras biológicas provenientes do Centro de Terapia Intensiva foi Staphylococcus aureus (14,0%). Enquanto, Staphylococcus coagulase negativa (16,6%) foi oagente prevalente em amostras recebidas das outras unidades de internação. S. aureusapresentou 100% de sensibilidade para vancomicina, rifampicina esulfametoxazol/trimetoprim, 95% para gentamicina, 91% para clindamicina, 79% paraoxacilina e 65% para tetraciclina.

O perfil de sensibilidade para Staphylococcus coagulasenegativa foi vancomicina 100%, rifampicina 98,6%, gentamicina 65,4% e oxacilina 53,7%.A identificação dos microrganismos prevalentes, bem como, seus respectivos perfis desensibilidade, permite uma abordagem terapêutica racional, contribuindo para diminuiçãodo abuso de antibióticos, reduzindo o surgimento de novas cepas bacterianas resistentes.

 

Autoras: SHISUE KARINA KATAGIRI e SIMONE CRISTINA BENOVIT