No processo de cuidar, o ser humano é o objeto do cuidado, cabendo-lhe o cuidado integral e humanizado por meio da adoção e prática de políticas de humanização, as quais, por decorrência, beneficiam gestores e clientes.

Este estudo objetivou analisar fatores intervenientes dos programas e políticas governamentais voltados à humanização, especificamente relacionados à assistência hospitalar, sobretudo em Unidade de Terapia Intensiva, com o fim último, de identificar práticas garantidoras da humanização da assistência por parte dos profissionais da equipe multiprofissional que atuam no setor,ao mesmo tempo, viáveis,do ponto de vista da sua aplicabilidade. Trata-se de uma revisão da literatura com enfoque descritivo.

Foram utilizados como critérios de inclusão, artigos e livros nacionais referentes ao tema proposto, publicados nos últimos anos. A humanização hospitalar atualmente preconiza proteger o indivíduo por meio do cuidado e o cuidador, com base a uma assistência de qualidade.

Mediante os dados obtidos na literatura específica da temática em questão, ficou patente a importância da equipe multidisciplinar na assistência humanizada, mediante a adoção de condutas que visem mudar as circunstâncias vividas no ambiente hospitalar em busca da excelência na atenção oferecida. A humanização hospitalar tem como principal alvo, por meio do cuidar, promover a dignidade do ser humano e respeitar os seus direitos, visto que a pessoa humana deve ser considerada como um ser único.

 

Autoras: Claudia Regina de Souza Silva e Dionéia Silveira de Araújo Ostrufk

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.