Embora existam evidências claras a respeito do papel dos celulares na transmissão de bactérias em hospitais ainda não se tem o conhecimento do grau de contaminação dos aparelhos dos profissionais de saúde nos países não desenvolvidos, pois a grande maioria dos estudos foram realizados em países desenvolvidos.

Na presente revisão foram analisadas ao todo 1.107 amostras de telefones celulares de trabalhadores de saúde. Os tipos mais comuns de bactérias encontradas em celulares nesses países são pertencentes à microbiota normal da pele. As taxas de contaminação variaram de 15% – 98%, sendo a média de 69%, indicando que o grau geral de contaminação dos celulares é muito similar a de países desenvolvidos, porém parece haver mais contaminação por bactérias patogênicas nos celulares dos profissionais nos países em desenvolvimento (a média de contaminação foi de 30,3%, sendo 11,6% nos países desenvolvidos) e pesquisas futuras são necessárias para maiores esclarecimentos.

 

Autora: Carolina Malavazzi Galvão