A infecção pode ser originada devido uma assistência do cuidado deficitária por parte da equipe de enfermagem, e atualmente o risco de se adquirir uma infecção hospitalar é altíssimo, sendo considerada um dos principais problemas de saúde pública no país. Diante disso, buscou-se levantar, através da bibliografia disponível, material sobre fatores de risco e qualidade dos cuidados relacionados a Ulcera por Pressão em paciente idoso internado na Unidade de Terapia Intensiva.

Trata-se de uma pesquisa de revisão sistemática da literatura. Resultados: A presença de infecções associadas ao risco para desenvolvimento de UP demonstra que sepses, tempo de internação e risco alto e elevado na classificação da escala de Braden são fatores potencialmente associados à formação de UP em pacientes acamados. Convém ressaltar que a infecção também pode surgir em decorrência da UP, iniciando-se no local da lesão e podendo se tornar sistêmica.

Considerando a prevenção de UP um dos maiores desafios no cuidado de saúde, é imprescindível o aprofundamento nas investigações futuras das associações entre os fatores de riscos e condições predisponentes, como forma de subsidiar a construção e validação de escalas de risco que contemplem esses aspectos multifatoriais e venham a contribuir para minimizar a atual problemática da ocorrência de infecção por úlceras de pressão em pacientes hospitalizados.

 

Autora: ANAMARIA GIRALDI