Inscreva-se já.

Estudo identifica fatores de risco para infecções hospitalares por enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos com importantes implicações para prevenção de infecções e stewardship de antimicrobianos.

Por que é importante estudar fatores de risco associados às enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos?

As infecções invasivas causados por enterobactérias resistentes a carbapanem (CRE) são uma preocupação significativa em ambientes de saúde devido ao crescente número de infecções, limitadas opções de tratamento, os custos significantes associados e as altas taxas de mortalidade.

O que os autores estudaram?

O estudo teve como objetivo comparar características demográficas e a prevalência de fatores de risco em uma grande coorte de pacientes com colonização urinaria ou infecção por CRE e pacientes com infecção invasiva para determinar se fatores particulares foram preditivos de infecção invasiva, com particular ênfase na imunossupressão.

Qual foi a metodologia do estudo?

Por meio de vigilância populacional retrospectiva os autores analisaram os casos de CRE que exigiram isolamento na região de Atlanta (EAU) , no período de agosto de 2011 a dezembro de 2015. Foram incluídos casos em que foi identificada infecção por E. coli, Klebsiella spp, ou Enterobacter spp. não suscetíveis a carbapanem e resistentes a todas as cefalosporinas de terceira geração testadas que foram identificados na urina ou em sítios normalmente estéreis. Foi então utilizada regressão logística multivariada para comparar os fatores de risco entre os pacientes com infecções invasivas e urinarias.

Os fatores de risco avaliados foram: hospitalização ou cirurgia no ano anterior; residência em unidades de cuidado a longo prazo no ano anterior; duração da hospitalização antes da positividade da cultura; presença de cateter urinário, cateter venoso central ou outros dispositivos de longa permanência nos dois dias anteriores a cultura positiva; e a presença de condição imunossupressora.

 Quais foram os principais fatores de risco observados neste estudo?

Foram incluídos no estudo 576 pacientes que tiveram pelo menos um caso/registro de CRE durante o período de estudo, sendo 91 (16%) destes com infecção invasiva. A população de estudo foi majoritariamente (57.5%) feminina e negra (51.9%), com uma média de idade de 63 anos (±18 anos).

A maioria dos CRE isolados foram de Klebsiella pneumoniae (58.6%), seguido por E. coli (18,2%). As infecções invasivas foram identificadas principalmente por meio de hemocultura (82.4%), e foram majoritariamente pacientes mais jovens (media de idade de 55.8 anos) e homens (53.9%).

A análise multivariada revelou que a presença de cateter venoso central ou outros dispositivos de longa permanência e cirurgia no último ano foram associados a infecção invasiva.

Quais as conclusões finais dos autores?

Os autores concluem que as relações entre dispositivos/procedimentos invasivos e infecção de sítios estéreis identificadas no estudo tem implicações importantes tanto para a prevenção de infecções quanto para a stewardship de antimicrobianos. Concluem que evitar o uso destes dispositivos em pacientes de risco quando possível, enfatizar a importância da higiene das mãos e a aderência aos protocolos de manejo, e a remoção de cateteres e outros dispositivos assim que não forem mais necessários são estratégias essenciais para conter esse tipo de ameaça a saúde. Ressaltam ainda que estratégias horizontais de prevenção de infecção põem ser ainda mais importantes em ambientes de cuidados críticos a saúde e com pacientes que tem histórico de colonização por CRE e/ou outras infecções.

Por fim, destacam que futuros esforços de prevenção de infecções para diminuir os casos de CRE em ambientes de saúde devem se concentrar na minimização da utilização de dispositivos desnecessários.

Quais foram as limitações do estudo, segundo os pesquisadores?

Os pesquisadores ressaltam limitações do estudo sendo as principais listadas aqui. Primeiramente, o estudo não inclui um grupo de controle não positivo para CRE. Além disso, a gravidade da doença dos pacientes não foi considerada na análise dos dados. Ainda, a natureza retrospectiva do estudo abre a possibilidade de ausência de informações ou inclusão de dados imprecisos.

Que críticas e comentários finais?

Os autores iniciam o estudo com uma correlação hipotética entre a presença de infecção invasiva por CRE e condições de imunossupressão. Durante a análise de dados foram capazes de reconhecer a não pertinência desta hipótese e assim obter resultados relevantes para o controle de infecção e para a stewardship de antimicrobianos em consideração, demonstrando assim uma boa aplicação pratica da metodologia cientifica.

Considerando os resultados da análise, confirma-se mais uma vez a importância da aplicação apropriada dos diversos recursos dentro de ambientes de cuidados a saúde. A relevância de medidas base de prevenção e controle de infecção – como a higiene das mãos e a utilização pertinente de dispositivos invasivos – continua sendo fundamental para melhorar a qualidade da assistência à saúde e limitar a incidência de infecções resistentes a antimicrobianos.

 

Fonte: Sexton ME, Bower C, Jacob JT. Risk factors for isolation of carbapenem-resistant Enterobacterales from normally sterile sites and urine. Am J Infect Control. 2022 Aug;50(8):929-933

Link: https://doi.org/10.1016/j.ajic.2021.12.007

Links relacionados:

Epidemiology of Carbapenem-Resistant Enterobacteriaceae in 7 US Communities, 2012-2013 https://doi.org/10.1001/jama.2015.12480

Factors associated to prevalence and treatment of carbapenem-resistant Enterobacteriaceae infections: a seven years retrospective study in three tertiary care hospitals https://doi.org/10.1186/s12941-018-0267-8

Bacteriúria por enteobactérias resistentes  a carbapenem: https://www.ccih.med.br/bacteriuria-por-enterobacterales-resistente-a-carbapenem-e-bacteremia-subsequente-um-estudo-de-base-populacional/

Fatores de risco e resultados de pacientes colonizados por enteobactérias resistentes produtoras x não produtora de carbapenemases  https://www.ccih.med.br/fatores-de-risco-e-resultados-de-pacientes-colonizados-por-enterobacteriaceae-resistentes-a-carbapenamases-produtoras-e-nao-produtoras-de-carbapenamases/

Identificação de infecção por microrganismos multirresistentes https://www.youtube.com/watch?v=MCbwo8oZP9w

Prevenção e controle de infecção: https://www.ccih.med.br/como-e-por-que-controlar-as-infeccoes-hospitalares/

Stewardship de antibióticos e resistência antimicrobiana: https://www.ccih.med.br/stewardship-de-antimicrobianos-gerenciando-o-uso-dos-antimicrobianos-para-salvar-vidas/

Sinopse por: Maria Julia Ricci

Instagram: https://www.instagram.com/sonojuju/

E-mail: [email protected]

Palavras chave / TAGs: enterobactérias, carbapenem, resistência microbiana, resistência antimicrobiana, prodedimentos invasivos, cirurgia



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express