Inscreva-se já.

As infecções relacionadas à assistência à saúde continuam a se apresentar como um grave problema de saúde pública no país, aumentando a morbidade e a mortalidade entre os pacientes, além de elevar os custos hospitalares. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária/MS (Anvisa), dentro de suas atribuições, vem desenvolvendo várias atividades preventivas com o objetivo de aperfeiçoar a segurança dos pacientes e reduzir os riscos nos serviços de saúde, em todo o território nacional.

A higienização das mãos é considerada uma medida individual prioritária de maior impacto e comprovada eficácia na prevenção das infecções, uma vez que impede a transmissão cruzada de microrganismos e o risco ao paciente, todos os profissionais que trabalham em serviço de saúde, que mantém contato direto ou indireto, que atuam na manipulação dos medicamentos, alimentos e material estéril ou contaminado, devem higienizar as mãos. Estudos mostram que uma maior adesão às práticas de higienização das mãos está associada a uma redução nas taxas das infecções em serviços de saúde.

Embora a ação seja simples, o não cumprimento desta prática, pelos profissionais de saúde, ainda é considerado um desafio no controle de infecção dos serviços de saúde. A Organização Mundial de Saúde (OMS), atenta a esta questão, propôs, no âmbito mundial, a “Aliança Mundial para a Segurança do Paciente”, que objetiva a redução dos riscos inerentes às infecções relacionadas à assistência à saúde.

Essa proposta, tem como pressuposto o lema “Uma Assistência Limpa é uma Assistência mais Segura”, e conta com o comprometimento de vários países do mundo. No ano de 2007, o Brasil foi incluído nesta Aliança, por meio da assinatura do Ministro da Saúde, da “Declaração de Compromisso na Luta contra as Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde”, de iniciativa do Programa “Desafio Global de Segurança do Paciente” da OMS.

A parceria entre Anvisa e a OPAS/OMS contribui com o desenvolvimento de ações que promovem a segurança do paciente com base em evidências e boas práticas. O primeiro Desafio Global de Segurança do Paciente está focado na higienização das mãos. Sendo assim, cinco hospitais, denominados “Sítios de Testes Complementares”, já estão testando as diretrizes da OMS para a melhoria das práticas de higienização das mãos. Para a realização desta intervenção foram disponibilizadas aos serviços de saúde inúmeras ferramentas da OMS, traduzidas para o português e impressas, a exemplo neste manual, que auxiliam na aplicação desta estratégia.

Com esta iniciativa, a Anvisa espera proporcionar aos profissionais, administradores e gestores de serviços de saúde, conhecimento técnico para embasar as ações relacionadas à prevenção e à redução da incidência do agravo e dos óbitos provocados pelas infecções relacionadas à assistência à saúde. Enfim, vale ressaltar que a prática da higienização das mãos, pelos profissionais de saúde, evita danos e salva vidas, promovendo a segurança dos pacientes nos serviços de saúde.

 

Autor: Lucilaine Souza Gonçalves Cruz de Oliveira

 



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express