Inscreva-se já.

Infecções relacionadas a cuidados em saúde (HAIs) estão entre as principais causas de morbidade e mortalidade em pessoas que realizam procedimentos clínicos. Uma das principais causa de HAIs no ambiente hospitalar é a infecção cruzada. Uma das principais causa de HAIs no ambiente hospitalar é a infecção cruzada.

Qual a justificativa do estudo?
Infecções relacionadas a cuidados em saúde (HAIs) estão entre as principais causas de morbidade e mortalidade em pessoas que realizam procedimentos clínicos. A OMS reconhece que HAIs são um problema de saúde publica e recomenda que autoridades de nível nacional e regional desenvolvam ações com o intuito de, acima de tudo, reduzir o risco de aquisição. Uma das principais causa de HAIs no ambiente hospitalar é a infecção cruzada.

Qual o objetivo do estudo?
Uma das principais causa de HAIs no ambiente hospitalar é a infecção cruzada.

Qual metodologia foi empregada?
Foi realizada uma revisão sistemática, na qual foram pesquisados artigos indexados nas bases de dados BVS, CAPES Periodicos, Cochrane Library, PubMed, Scientific Electronic Library Online e ScienceDirect.

Quais os principais resultados?
Vinte e dois artigos foram selecionados para este estudo, 27% dos quais realizados na América do Sul. Foi demonstrado que a grande maioria dos profissionais não realiza a higienização do estetoscópio, seja por falta de orientação ou por desconhecimento dos riscos de contaminação.
Além disso, desses 22 artigos avaliados, apenas 10 demonstraram que mais de 50% das amostras analisadas estavam contaminadas com algum tipo de bactéria. Staphylococcus spp. coagulase-negativo, Staphylococcus aureus, Acinetobacter spp., Pseudomonas spp. e Klebsiella pneumoniae foram os patógenos mais recorrentes. Além disso, cepas multirresistentes também foram isoladas, destacando-se a resistência à Ampicilina e Clindamicina.

Quais as conclusões e recomendações finais?
Foi concluído pelos autores que o estetoscópio é um potencial disseminador de infecções bacterianas. A contaminação é explicada pelas possíveis reações cruzadas que possibilitam a transmissão de agentes infecciosos. A limpeza antes e depois de cada ausculta é uma alternativa eficiente para minimizar esses patógenos.

Que críticas e observações finais?
Os autores não ressaltaram nenhuma limitação porém é importante lembrar sempre das limitações inerentes a cada metodologia e aos possíveis vieses de seleção.
Esse artigo pode ser visto como um importante lembrete da presença de possíveis fontes de infecção que são subestimadas. O meio dos cuidados da saúde esta cercado por potenciais fontes de infecção e é papel do bom profissional estar sempre atento a essas.
Os estudos não correlacionaram a contaminação dos estetoscópios com ocorrência de infecção e nem se sua descontaminação reduz a incidência de infecção.

Fonte: Queiroz Júnior JRA, Melo IO, Calado GHDS, Cavalcanti LRC, Sobrinho CRW. Identification and resistance profile of bacteria isolated on stethoscopes by health care professionals: Systematic review. Am J Infect Control. 2021 Feb;49(2):229-237
Sinopse por: Maria Julia Ricci
Contato: [email protected]



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express