Inscreva-se já.

Em estudo retrospectivo consolidando dados de 22 anos, hospital brasileiro pode comprovar redução da ocorrência de infecções relacionadas a dispositivos invasivos em sua UTI adulto. 

O que é um bundle e quais medidas são preconizadas?

Um bundle é uma abordagem estruturada com um pequeno conjunto de práticas baseadas em evidências – geralmente 3 a 5 – que, quando realizadas coletivamente, comprovadamente melhoram os desfechos dos pacientes.

Em nosso estudo seguindo o Institute for Healthcare Improvement, o bundle de pneumonia associada ao ventilador (PAV) consistiu em elevação da cabeceira superior a 30o, pausa diária da sedação, manutenção da pressão segura do balonete do tubo endotraqueal, técnica adequada de aspiração das vias aéreas (sistema de aspiração subglótica), cuidados bucais adequados com enxágue oral com gluconato de clorexidina a 0,12%, profilaxia de úlcera péptica e profilaxia de trombose venosa profunda.

Para a linha central – infecção de corrente sanguínea associada (CLABSI), as seguintes abordagens foram determinadas: técnica asséptica que utilizou precauções máximas de barreira estéril na inserção, remoção de cateteres centrais desnecessários, uso de curativo impregnado com clorexidina e cateterismo venoso central guiado por ultrassom.

Para o bundle de infecção do trato urinário associada a cateter (CAUTI), as seguintes abordagens incluíram a inserção de catetere’s urinários apenas para indicações apropriadas, inserção de cateter usando técnica asséptica e equipamento estéril, manutenção de um sistema de drenagem fechado e remoção de cateter urinário desnecessário.

Qual foi o objetivo da publicação?

Assim, este estudo descreve a experiência de uma equipe multiprofissional na unidade de terapia intensiva (UTI) ao longo de 22 anos e o impacto da implantação de bundles na prevenção de PAV, CLABSI e CAUTI.

Como o estudo foi realizado?

Este estudo de coorte retrospectivo realizado em uma UTI clínica e cirúrgica adulto com 41 leitos, em um hospital privado na cidade de São Paulo, Brasil, ao longo de 22 anos divididos em 2 períodos de análise (período I: 1996-2006; período II: 2007-2017).

Em 2007, os bundles de prevenção de infecções foram implementados usando a metodologia do Institute of Healthcare Improvement; embora, a equipe multidisciplinar da UTI vinha desenvolvendo bundles de prevenção desde 1996. Desde 1996, a equipe multiprofissional da UTI é composta pelos seguintes profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos e profissionais de controle de infecção e epidemiologia. Eles se reuniam duas vezes por mês para discutir as taxas de PAV, CLABSI, CAUTI e propor estratégias de prevenção e controle de infecções.

Antes da implantação do bundle (período I: 1996-2006), os membros da equipe multiprofissional identificaram os problemas ocorridos durante o atendimento e utilizaram as soluções da revisão de literatura para lidar com as respectivas questões.

No período II (2007-2017), o bundle de prevenção de infecção foi implantado na UTI com apoio da liderança. Os principais objetivos e estratégias para a redução da PAV, CLABSI, CAUTI tiveram como meta proposta de 95% de cumprimento. Auditores compostos por profissionais de saúde foram treinados pelos profissionais em controle de infecção e epidemiologia para aplicar uma lista de verificação de cada bundle de prevenção com feedback imediato de correção.

A vigilância de PAV, CLABSI, CAUTI foi realizada por controladores de infecção treinados e classificada usando as definições do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e várias atualizações ao longo dos anos. A vigilância incluiu a análise de dispositivos-dia para o cálculo das taxas de IRAS.

Quais foram os principais resultados obtidos?

Ao longo de 22 anos, foram detectadas 1.549 IRAS, que incluíram 363 casos de CLABSI, 527 de CAUTI e 659 de PAV. No período II (2007-2017), o uso de dispositivos invasivos representou 62,4% do total de cateter venoso-dia, 54,9% do total de cateter vesical-dia, 52,7% do total de ventilação mecânica-dia; 71,8% das IRAS ocorreram no período I (1996-2006); 59,2% eram CLABSI, 65,5% eram CAUTI e 83,8% eram PAV.

As taxas de CLABSI, CAUTI e PAV foram estatisticamente diferentes nos períodos I e II com redução de 58,6%, 56,7% e 82,6%, respectivamente (p < 0,05).

Quais as principais conclusões dos autores?

Em nosso estudo, a implementação do bundle de prevenção de infecções no contexto de uma equipe multidisciplinar dedicada com apoio da liderança foi uma solução para este desafio. Apesar de demonstrar que no período II houve aumento do uso de dispositivos invasivos (62,4% do total de cateter venoso-dia, 54,9% do total de cateter vesical-dia, 52,7% do total de ventilador mecânico-dia) em relação ao período I, houve redução nas taxas de IRAS. Isso significa que houve melhora na qualidade do acesso ao dispositivo invasivo em função das boas práticas sintetizadas pelo bundle de prevenção.

Estudos têm demonstrado a redução das taxas de IRAS com a implantação de bundles de prevenção.

No período I, diversas ações foram propostas pela equipe multidisciplinar; no entanto, não havia metodologia de monitoramento e sistematização das ações em bundles. A meta de 95% de adesão aos bundles presente no período II foi fundamental para a melhoria contínua no processo de prevenção de infecções.

Quais as principais limitações do estudo segundo os autores?

A principal limitação do estudo é o desenho retrospectivo, que pode subestimar ou superestimar a taxa de infecção real e levar à subjetividade na definição do caso por diferentes profissionais de controle de infecção ao longo dos anos. Outras limitações estão relacionadas as mudanças nos critérios diagnósticos de IRAS pelo CDC, mudanças na equipe multidisciplinar e no quadro de funcionários acima de 22 anos, mudança nos dispositivos utilizados, novos insumos e equipamentos, comorbidades dos pacientes e falta de dados sobre adesão à higienização das mãos e treinamento nos 2 períodos. Em conclusão, a implementação dos bundles CLABSI, CAUTI e PAV por uma equipe multidisciplinar dedicada na UTI com o apoio da liderança promoveu uma redução sustentada das taxas de IRAS ao longo de mais de uma década.

Fonte: Kataoka L, Silva CV, Júnior MS, Martineli PF, de Araújo ABS, Castagna HMF, Toniolo ADR, Gonçalves P, Corrêa L, Laselva CR, Yamashita MA, Guerra MRA, Lucinio NM, Marra AR, Camargo TZS, Carvalheiro AM, Caserta RA, Ferraz LJR, Camargo LFA, Kawagoe JY, Menezes FG. Performance of a multidisciplinary team and the impact of bundles for reducing health care associated infections in adult intensive care unit: 22 years of experience. Am J Infect Control. 2022 Aug;50(8):963-965.

Link: https://doi.org/10.1016/j.ajic.2022.02.008

Links relacionados:

Use of ventilator bundle and staff education to decrease ventilator-associated  pneumonia in intensive care patients. https://doi.org/10.4037/ccn2016520

Bundle approach used to achieve zero central line-associated bloodstream infections in an adult coronary intensive care unit. https://doi.org/10.1016/j.ajic.2022.02.008

A bundle-based approach to prevent catheter-associated urinary tract infections in the intensive care unit. https://doi.org/10.4037/ccn2021934

Bundles e prevenção de infecções relacionadas à procedimentos invasivos https://www.ccih.med.br/bundles-e-prevencao-de-infeccoes-relacionadas-a-procedimentos-invasivos/

Checklists de inserção de dispositivos invasivos https://www.ccih.med.br/checklists-de-insercao-de-dispositivos-invasivos/

Time de cateteres vasculares

https://www.ccih.med.br/time-de-cateteres-vasculares/

Novos critérios diagnósticos da ANVISA e do CDC https://www.ccih.med.br/novos-criterios-diagnosticos-da-anvisa-e-do-cdc/

A implantação de bundles em unidades de terapia intensiva como estratégia de controle de infecção relacionada à assistência de saúde: uma reflexão acerca da prática baseada em evidência https://www.ccih.med.br/a-implantacao-de-bundles-em-unidades-de-terapia-intensiva-como-estrategia-de-controle-de-infeccao-relacionada-a-assistencia-de-saude-uma-reflexao-acerca-da-pratica-baseada-em-evidencia/

 

Prevenção e controle de infecção: https://www.ccih.med.br/como-e-por-que-controlar-as-infeccoes-hospitalares/

Sinopse por: Thalita Gomes do Carmo

https://www.instagram.com/profa.thalita_carmo/

TAGs / palavras chave: bundles, PAV, pneumonia, ICS, infecção da corrente sanguínea, infecção do trato urinário, ITU, ventilação mecânica, sonda vesical, acesso vascular, UTI, unidade de terapia intensiva



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express