Inscreva-se já.

Na manhã de terça-feira (21/9), a Anvisa participou de reunião do Comitê Interinstitucional de Farmacovigilância de Vacinas e outros Imunobiológicos (Cifavi), realizada de maneira virtual. No encontro, que ocorre semanalmente, especialistas que conduziram a investigação no estado de São Paulo detalharam para os presentes o procedimento investigativo da suspeita de evento adverso pós-vacinação de adolescente ocorrido no estado.

O processo investigativo foi validado pelos membros do Cifavi e o diagnóstico referendado. Tratou-se de um quadro clínico característico de púrpura trombótica trombocitopênica (PTT), uma doença autoimune. A avaliação dos especialistas investigadores também contou com acesso aos dados de prontuário da paciente, incluindo exames complementares. Também foi validada a conclusão de que a paciente não apresentou qualquer doença cardiológica.

Uma vez fechado o diagnóstico, iniciou-se uma discussão sobre a causalidade, ou seja, uma avaliação da relação entre a PTT e a vacinação. Tal avaliação considera, além dos dados das notificações, dados obtidos na investigação, informações sobre a existência de casos semelhantes em outros países, além de evidências científicas relatadas na literatura nacional e internacional. A causalidade foi classificada como coincidente, ou seja, descartou-se a possibilidade de o óbito ter sido relacionado à administração da vacina.

Até o momento, os achados apontam para a manutenção da relação benefício versus risco para todas as vacinas autorizadas no Brasil, ou seja, os benefícios da vacinação excedem significativamente os seus potenciais riscos.

https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/investigacao-conclui-que-obito-de-adolescente-nao-esta-relacionado-a-vacina

Sinopse por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104

 



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express