Promoção Juho Azul Celeste - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 250,00

O subcomitê COVID-19 do Comitê Consultivo Global da OMS sobre Segurança de Vacinas (GACVS) está revisando relatórios de um pequeno número de casos de miocardite relatados em indivíduos vacinados com as vacinas de mRNA COVID-19. O subcomitê observou que, na maioria dos casos relatados, os indivíduos se recuperaram. O subcomitê está solicitando e monitorando informações adicionais para avaliar qualquer relação com a vacinação COVID-19.

A miocardite é uma inflamação do músculo cardíaco e a pericardite é uma inflamação do revestimento que envolve o coração. Embora possa causar doenças graves, geralmente é leve e responde bem ao tratamento conservador.

Em 17 de maio, o Grupo de Trabalho Técnico de Segurança de Vacinas COVID-19 (VaST) do Comitê Consultivo dos EUA em Práticas de Imunização (ACIP) concluiu que há poucos relatos de miocardite até o momento e que esses casos parecem ocorrer predominantemente em adolescentes e adultos jovens, mais frequentemente em homens do que mulheres, mais frequentemente após a segunda dose da vacina e, normalmente, 4 dias após a vacinação.  A maioria dos casos parece ser leve e o acompanhamento é contínuo.

O subcomitê GACVS observou que a maioria das informações recebidas até agora se baseia em relatórios passivos e espontâneos. Estudos mais rigorosos usando fontes de dados alternativas e desenhos de estudo mais robustos, incluindo a comparação de populações vacinadas e não vacinadas, são necessários para avaliar potencial associação causal entre o evento e a vacina. Alguns países, como Israel, Reino Unido e Estados Unidos, embarcaram nesses estudos. O subcomitê GACVS fará uma análise mais detalhada à medida que mais dados forem disponibilizados. O subcomitê também destacou a importância de se ter uma definição de caso harmonizada. Um rascunho de definição de caso para miocardite foi desenvolvido recentemente pela Brighton Collaboration.

Embora reconheça os claros benefícios das vacinas de mRNA na redução de mortes e hospitalizações devido a infecções por COVID-19, o subcomitê incentiva todos os profissionais de saúde a relatar todos os eventos de miocardite e outros eventos adversos observados com essas e outras vacinas. O manual de vigilância da segurança da vacina COVID-19 da OMS fornece orientação aos países sobre o monitoramento da segurança e compartilhamento de dados de eventos adversos para as novas vacinas COVID-19.

https://www.who.int/news/item/26-05-2021-gacvs-myocarditis-reported-with-covid-19-mrna-vaccines

Elaborado por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.