Inscreva-se já.

O mais recente relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre resistência aos medicamentos para HIV oferece uma imagem detalhada de até que ponto a resistência aos medicamentos está crescendo e as medidas que os países estão tomando para garantir que as pessoas recebam medicamentos eficazes para tratar e prevenir o HIV.

O relatório revela que em 2020, 64% dos países em foco (com alta carga de infecção por HIV) tinham planos de ação nacionais para prevenir, monitorar e responder à resistência aos medicamentos para o HIV. Esses planos são informados pelo Plano de Ação Global sobre a resistência aos medicamentos para HIV 2017–2021, um plano elaborado, coordenado e publicado pela OMS, com colaboração de diferentes atores e organizações. A OMS incentiva os países a monitorarem a resistência das pessoas que estejam iniciando os medicamentos antirretrovirais (ARVs), que é chamada de resistência pré-tratamento. A OMS recomenda que, quando o nível de resistência pré-tratamento de um país chega a 10% ou mais, o esquema antirretroviral de primeira linha preconizado seja substituído urgentemente por um esquema robusto contendo dolutegravir.

Este relatório indica que um número cada vez maior de países está atingindo o limite de 10% de resistência a medicamentos para HIV de resistência pré-tratamento à classe dos inibidores da transcriptase reversa não-análogos de nucleosídeos (ITRNN) e as pessoas que tiveram exposição anterior a medicamentos antirretrovirais têm três vezes mais probabilidade de demonstrar resistência aos ITRNN. Esses achados enfatizam a necessidade de acelerar a transição para regimes contendo dolutegravir em países que continuam usando a terapia antirretroviral baseada em ITRNN.

Editado por Laura Czekster Antochevis

Contatos: [email protected]  ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS