Inscreva-se já.

Este documento atualiza as estratégias para prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica em Hospitais com centro de tratamento intensivo, publicados em 2014. Nesta parte:

  • Elaboração do guia
  • Principais mudanças em relação ao Guia 2014
  • Práticas essenciais adicionadas
  • O que deixou de ser reomendado
  • Metodologia aplicada no guia

Que entidades colaboraram na elaboração do guia para prevenção de pneumonia?

Este documento com orientações especializadas é patrocinado pela Society for Healthcare Epidemiology (SHEA); é o produto de um esforço colaborativo liderado pela SHEA, a Infectious Diseases Society of America, o American Hospital Association, a Association for Professionals in Infection Control and Epidemiology, and The Joint Commission, com importantes contribuições de representantes de várias organizações e sociedades com experiência no tema.

Quais as principais alterações em relação ao guia anterior de 2014?

Esta seção lista as principais alterações das Estratégias para prevenir a pneumonia associada à ventilação mecânica em hospitais com centro de tratamento intensivo: atualização de 2014, incluindo recomendações que foram adicionadas, removidas ou alteradas.

As recomendações são categorizadas como “práticas essenciais” que devem ser adotadas por todos os hospitais de cuidados intensivos (em 2014 eram “práticas básicas”, renomeadas para destacar sua importância como fundamental para os programas de prevenção de infecções associadas à saúde (IRAS) dos hospitais) ou como “abordagens adicionais” que podem ser consideradas para uso em locais e/ou populações dentro de hospitais quando essas IRAS não são controladas após a implementação de práticas essenciais (em 2014 eram “abordagens especiais”).

Quais são as práticas essenciais foram adicionadas ao guia de pneumonia?

  • Foi adicionado uma recomendação para uso de oxigênio nasal de alto fluxo ou ventilação não invasiva com pressão positiva, como opções para evitar a intubação, minimizar a duração da intubação e prevenir reintubações.
  • Foi adicionado uma recomendação para despertar espontâneo ou protocolos de sedação como estratégias eficazes para minimizar a sedação em adultos.
  • Tubos endotraqueais com drenagem de secreção subglótica foram reclassificados de Prática Essencial para uma Abordagem Adicional.
  • Foi adicionado uma recomendação para escovação diária.
  • Foi adicionado uma recomendação para uso de terapia com cafeína para facilitar extubação em recém-nascidos prematuros.

Quais abordagens adicionais foram acrescidas?

  • Tubos endotraqueais com drenagem de secreção subglótica foram reclassificados como Abordagem adicional ao invés de Prática essencial para adultos e crianças mais velhas.
  • Foi adicionado uma recomendação para considerar a traqueostomia precoce.
  • Foi adicionado uma recomendação para considerar alimentação pós-pilórica em vez de alimentação gástrica em pacientes com alto risco de aspiração. 

O que passou a ser não recomendado em relação ao guia anterior?

  • Higiene bucal com clorexidina.
  • Probióticos.
  • Cuffs do tubo endotraqueal de poliuretano ultrafino.
  • Cuffs do tubo endotraqueal cônico.
  • Controle automatizado das pressões do cuff endotraqueal.
  • Monitoramento frequente da pressão do cuff endotraqueal

Algum tópico novo foi incluído?

  • Seção sobre prevenção de pneumonia adquirida no hospital não associada à ventilação mecânica.

No que foi baseado este guia?

Este documento foi desenvolvido seguindo o processo descrito no Handbook for SHEA-Sponsored Guidelines and Expert Guidance Documents.

Nenhuma diretriz ou documento de orientação especializado pode antecipar todas as situações clínicas, e este documento não pretende substituir o julgamento clínico individual por profissionais qualificados.

Este documento é baseado em uma síntese de evidências, fundamentos teóricos, práticas atuais, considerações práticas, consenso do grupo de redação e consideração de danos potenciais, quando aplicável.

Qual seu objetivo principal?

O objetivo deste documento é destacar as recomendações práticas para auxiliar os hospitais com centro de tratamento intensivo a priorizar e implementar estratégias para prevenir pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV), eventos associados à ventilação mecânica (EAV) e pneumonia adquirida no hospital não associada à ventilação mecânica (NV-HAP) em adultos, crianças e neonatos. 

Qual foi metodologia para sua elaboração?

A SHEA recrutou 2 especialistas no assunto na prevenção de PAV, EAV e NV-HAP para liderar um painel de membros representando as organizações parceiras do Compêndio: SHEA, the Infectious Diseases Society of America (IDSA), the Association for Professionals in Infection Control and Epidemiology (APIC), the American Hospital Association (AHA), and The Joint Commission, bem como a representação do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). 

Os resumos dos artigos foram revisados ​​pelos membros do painel de forma duplo-cega usando o software de gerenciamento de resumos Covidence (Melbourne, Austrália) e artigos potencialmente relevantes foram revisados ​​como texto completo. Os autores principais do compêndio votaram posteriormente para atualizar as descobertas da literatura e o bibliotecário reexecutou a pesquisa para incluir artigos publicados até agosto de 2021. Os membros do painel revisaram os resumos desses artigos via Covidence e incorporaram referências relevantes.

As recomendações resultantes deste processo de revisão da literatura foram classificadas com base na qualidade das evidências e no equilíbrio entre os efeitos desejáveis ​​e potencialmente indesejáveis ​​de várias intervenções. Os membros do painel se reuniram por videoconferência para discutir os resultados da literatura; recomendações; qualidade das evidências para essas recomendações; e classificação como Práticas essenciais, Abordagens adicionais ou Questões não resolvidas.

Os membros do painel revisaram e aprovaram o documento e suas recomendações.

O Painel de Especialistas do Compêndio, composto por membros com ampla experiência em epidemiologia de saúde e prevenção de infecções, revisou o rascunho do manuscrito após o consenso ter sido alcançado pelos membros do painel de redação.

Após análise e aprovação do Painel de Especialistas, as 5 organizações parceiras, organizações de partes interessadas e o CDC revisaram o documento. Antes da divulgação, o documento de orientação foi revisado e aprovado pelo Comitê de Diretrizes da SHEA, pelo Comitê de Normas e Diretrizes Práticas da IDSA e pelos Conselhos da SHEA, IDSA, APIC, AHA e The Joint Commission.

Todos os membros do painel cumpriram as políticas da SHEA e IDSA sobre divulgação de conflitos de interesse.

Próxima parte: https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pneumonia-hospitalar-guia-shea-2022-parte-2/ 

Fonte: Klompas M, Branson R, Cawcutt K, Crist M, Eichenwald EC, Greene LR, Lee G, Maragakis LL, Powell K, Priebe GP, Speck K, Yokoe DS, Berenholtz SM. Strategies to prevent ventilator-associated pneumonia, ventilator-associated events, and nonventilator hospital-acquired pneumonia in acute-care hospitals: 2022 Update. Infect Control Hosp Epidemiol. 2022 Jun;43(6):687-713

Link: https://www.cambridge.org/core/journals/infection-control-and-hospital-epidemiology/article/strategies-to-prevent-ventilatorassociated-pneumonia-ventilatorassociated-events-and-nonventilator-hospitalacquired-pneumonia-in-acutecare-hospitals-2022-update/A2124BA9B088027AE30BE46C28887084

Links relacionados:

https://shea-online.org/wp-content/uploads/2022/02/2022-Handbook-Update-Approved-Posted.pdf

https://www.cambridge.org/core/services/aop-cambridge-core/content/view/8E1C86D874AB23D1D5D8A4BBD86E6C3E/S0899823X0019378Xa.pdf/introduction-to-a-compendium-of-strategies-to-prevent-healthcare-associated-infections-in-acute-care-hospitals-2014-updates.pdf

https://www.ajicjournal.org/article/S0196-6553(20)30124-3/fulltext

https://www.ccih.med.br/como-e-por-que-controlar-as-infeccoes-hospitalares/

https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pav/

https://www.ccih.med.br/pneumonia-hospitalar/

https://www.ccih.med.br/oms-competencias-essenciais-para-profissionais-de-prevencao-e-controle-de-infeccao-volume-3/

https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pneumonia-hospitalar-nao-associada-a-ventilacao-mecanica/

Sinopse por: Thalita Gomes do Carmo

https://www.instagram.com/profa.thalita_carmo/

TAGs: pneumonia, pneumonia hospitalar, SHEA, ventilação mecânica, UTI, evidências científicas, CDC, ISDA, Joint Commission, PAV, pneumonia associada à ventilação mecânica, oxigênio nasal de alto fluxo, ventilação não invasiva com pressão positiva, protocolos de sedação, escovação diária, clorexidina, cafeína, prematuros, secreção subglótica, traqueostomia precoce, alimentação pós-pilórica, higiene bucak, probióticos, cuff de tubo endotraqueal, pneumonia não associada à ventilação mecânica, painel de especialistas, revisão de literatura,



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express