Inscreva-se já.

A infecção de sítio cirúrgico (ISC) é a segunda mais comuns infecção associada à assistência à saúde (IRAS) e representa 20% de todas as IRAS na Europa. A prevenção de ISC é complexa e abrange uma série de medidas.  Existem evidências científicas para o banho pré-operatório com degermantes?

Qual a importância da infecção do sítio cirúrgico?

A infecção de sítio cirúrgico (ISC) é a segunda mais comuns infecção associada à assistência à saúde (IRAS) e representa 20% de todas as IRAS na Europa. A prevalência de ISC varia muito dependendo do tipo de procedimento cirúrgico, de 0,5% para cirurgia de prótese de joelho até 10,1% para cirurgias de cólon.

As ISCs representam um fardo importante para os sistemas de saúde e aos pagadores de serviços em todo o mundo por conta da alta morbidade e mortalidade dos pacientes acometidos, além de custos adicionais devido a um pós-operatório mais longo, internações hospitalares, procedimentos cirúrgicos adicionais, tratamento com antibióticos e internações em unidades de terapia intensiva.

Quais as principias medidas profiláticas no pré-operatório imediato?

A prevenção de ISC é complexa e abrange uma série de medidas antes, durante e após a cirurgia. Antes da cirurgia, descolonização pré-operatória, especialmente de portadores de Staphylococcus aureus (MRSA), banho pré-operatório e preparação pré-operatória da pele são recomendados para prevenir ISC, por reduzirem a colonização da pele no local da incisão. No entanto, evidências clínicas para identificar o mais adequado tipo de degermante está faltando.

O que uma revisão sistemática fala sobre o assunto?

Uma revisão sistemática da Cochrane envolvendo sete ensaios clínicos randomizados (N = 10.157 pacientes) encontrou que o sabão antisséptico pré-operatório teve um impacto positivo nas taxas de ISC vs Placebo (mesma formulação de detergente

sem agente antimicrobiano), sabão ou sem lavagem. O sabão antisséptico mostrou-se mais benéfico em comparação com nenhuma lavagem.

Embora existam alguns estudos sobre o banho pré-operatório, poucos estimaram o custo econômico da prevenção de ISC associado ao sabão antisséptico.

Qual foi o objetivo dos autores?

O objetivo deste estudo foi de realizar uma relação entre o custo-benefício do impacto do sabão antisséptico nos custos, ocorrência de ISC e taxa de mortalidade versus ausência de banho e caracterizar a relação econômica sobre o impacto a nível hospitalar.

Qual foi a metodologia do estudo?

O desenho de estudo realizado foi um modelo de árvore de decisão desenvolvido no Microsoft Excel com base nas taxas de incidência de ISC para diferentes especialidades cirúrgicas, os custos de cuidados adicionais relacionados ao tratamento da ISC, permanência hospitalar ​​associada a ISC e o risco de morte.

Como foram calculados os dados para comparação?

As taxas de incidência de ISC foram baseadas nos resultados do National nosocomial infection alert investigation and surveillance network (RAISIN). Neste banco de dados de vigilância, a taxa de incidência de ISC é estimada em diferentes procedimentos cirúrgicos, com base nas primeiras 100 cirurgias realizadas consecutivamente entre os pacientes que foram incluídos no estudo, que tiveram acompanhamento no pós-operatório por pelo menos 30 dias.

Para cada paciente incluído, a equipe cirúrgica e os profissionais controladores de infecção coletaram dados, incluindo idade, sexo, o escore de avaliação pré-operatória da Society of Anesthesiologists (ASA), internação pré-operatória, tipo e duração do procedimento, estadiamento da ferida (de acordo com a classificação Altemeier), condições de emergência, se houve vídeocirurgia, tempo de internação e ocorrência de ISC tratada ambulatorialmente.

Taxa de mortalidade basal e risco aumentado de morte em caso de ISC foram estimados a partir de Fabbro-Perray et al., um estudo de coorte que incluiu 1.914 pacientes admitidos em tratamento de longa duração ou unidades de atendimento em um Hospital Universitário Francês de 2001 a 2003, que desenvolveram ISC durante a sua estadia. Os pacientes com ISC foram associados a uma razão de chance de mortalidade (OR) ajustada de 1,4.

Todos os custos (em euros) foram atualizados para 2020 com base no índice de preços ao consumidor francês de estatísticas nacionais. O custo do sabão antisséptico foi baseado no preço do esfoliante Betadine 4% (iodopovidona) e assumiu-se que 10% dos pacientes tomaram banho no hospital antes cirurgia. Pacientes que adquiriram o sabão antisséptico em farmácias e usaram em casa antes da cirurgia não foram considerados como custo para o hospital.

Que dados foram levantados no estudo?

Os custos e resultados relacionados à ISC foram estimados para dois grupos em todos os tipos de cirurgia e nível de contaminação.

Grupo 1: pacientes submetidos ao banho com sabão antisséptico antes da intervenção cirúrgica;

Grupo 2: pacientes submetidos ao banho sem sabão antisséptico antes intervenção cirúrgica.

Quais foram os principais resultados obtidos?

Por 1 ano, o Grupo 2 apresentou 2.324 casos de ISCs versus 2.115 no Grupo 1. O sabão antisséptico gerou uma economia potencial de 632,210 euros correspondente a uma média de 4.76 euros por paciente.

Os resultados por tipo de cirurgia mostraram uma economia anual nas cirurgias de ortopedia, ginecologia/obstétrica e digestiva, respectivamente, de 26,537; 20,520 e 14,377 euros.

Nas cirurgias limpas, evidenciou-se benefícios significativos do sabonete antimicrobiano nas cirurgias ortopédicas, ginecológicas/obstetrícias e urológicas, com uma economia potencial por ano, respectivamente, de 26,507, 19,236 e 12,930 euros.

Em cirurgias altamente contaminadas, as economias potenciais mais significativas foram nas neurocirurgias, cirurgias ortopédicas e digestivas. Nas cirurgias ginecológicas e obstétricas houve importante economia por paciente.

Estas economias de custos foram principalmente devido à redução da prevalência de ISC, associadas com a redução dos exames laboratoriais, procedimentos cirúrgicos, exames adicionais e tempo de permanência hospitalar adicional.

Quais as principais conclusões dos autores?

Em conclusão, o banho com sabão antisséptico antes da cirurgia é um procedimento que pode levar a economias significativas pela redução na incidência de ISC, evitando cuidados adicionais, diminuição do tempo de permanência hospitalar e mortes dos pacientes que desenvolvem complicações mais graves.

Além disso, o sabão antimicrobiano limita o número de dias de uso de antibióticos, que ajuda a prevenir a propagação de bactérias resistentes aos antibióticos.

Que limitações tem este estudo segundo os auotres?

Pesquisa adicional devem ser realizados para especificar melhor o impacto desta intervenção sobre o risco de ISC.

Qual a opinião de nossa equipe sobre este estudo e suas conclusões são aplicáveis em nossas instituições?

Embora publicado em revista conceituada, este estudo apresenta uma série de problemas metodológicos que prejudicam a validade e aplicabilidade de suas conclusões.

De início os autores citam revisão bibliográfica que compara banho com antisséptico degermante versus ausência de banho, o que não foi o objeto de estudo, pois aqui se comparou banho com degermante antisséptico versus banho com sabão comum.

É feita uma grande confusão metodológica entre dados da pesquisa de dados de literatura para justificar a conclusão.

É apresentado apenas o número absoluto de casos, não sendo feito nenhum tratamento estatístico desde os mais simples, como cálculo do risco de infecção entre os grupos, até os que seriam essenciais para saber se a diferença é significativa sob o ponto de vista estatístico

Surpreende-nos que uma revista renomada publique um artigo com tantos pontos obscuros e apresentamos aqui essa sinopse para vocês percebem que o nome de uma revista não é sinônimo do grau de evidência científica de suas publicações.

Fonte: J. Ory a,b, F. Bruyere, M. Massetti, R. Moreau. Economic evaluation of pre-operative shower with antiseptic soap to prevent surgical site infections. Journal of Hospital Infection 124 (2022) 9e12.

Link: https://doi.org/10.1016/j.jhin.2022.01.026

Links relacionados:

Healthcare-associated infections: surgical site infections e Annual Epidemiological Report for 2017. European Centre for Disease Prevention andControl; 2019 https://www.ecdc.europa.eu/en/publications-data/healthcare-associated-infections-surgical-site-infections-annual-1

Global guidelines on the prevention of surgical site infection. http://www.who.int/infection-prevention/publications/ssi-prevention-guidelines/en/

Preoperative bathing or showering with skin antiseptics to prevent surgical site infection. https://doi.org/10.1002/14651858.cd004985.pub5

Prevenção e controle de infecção: https://www.ccih.med.br/como-e-por-que-controlar-as-infeccoes-hospitalares/

Impacto de uma checklist de segurança cirúrgica nas infecções de sítio cirúrgico, resistência antimicrobiana, consumo de antimicrobianos, custos e mortalidade https://www.ccih.med.br/impacto-de-uma-checklist-de-seguranca-cirurgica-nas-infeccoes-de-sitio-cirurgico-resistencia-antimicrobiana-consumo-de-antimicrobianos-custos-e-mortalidade/

Sinopse por: Thalita Gomes do Carmo

https://www.instagram.com/profa.thalita_carmo/

Palavras chave / TAGs: infecção do sítio cirúrgico, prevenção, banho pré-operatório, antisséptico degermante, PVPI, sabonete comum



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express