Promoção Mês Verde - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 200,00

A resistência antimicrobiana é uma ameaça urgente a saúde publica e que demanda esforços colaborativos entre múltiplos setores – como da saúde pública, sistemas de saúde, indústria, prescritores e consumidores de antibióticos – para ser mais bem gerenciada. O principal objetivo do estudo foi determinar a capacidade de antibiogramas agregados em identificar tendências – a nível estadual em Massachusetts (EUA) – de mudança nos padrões de resistência antimicrobiana.

Qual a justificativa do estudo?

A resistência antimicrobiana é uma ameaça urgente a saúde publica e que demanda esforços colaborativos entre múltiplos setores – como da saúde pública, sistemas de saúde, indústria, prescritores e consumidores de antibióticos – para ser mais bem gerenciada. Antibiogramas tem sido utilizados por hospitais para monitorar e identificar tendências na susceptibilidade a antibióticos e para fornecer orientações de tratamento empírico para médicos em suas instituições.

Qual o objetivo do estudo?

O principal objetivo do estudo foi determinar a capacidade de antibiogramas agregados em identificar tendências – a nível estadual em Massachusetts (EUA) – de mudança nos padrões de resistência antimicrobiana.

Qual metodologia foi empregada?

No estado de Massachusetts os laboratórios clínicos reportam anualmente dados de susceptibilidade ao departamento de saúde pública (Massachusetts Deparment of Public Health – MDPH) de forma agregada. Relatórios são elaborados e então redistribuídos as unidades na forma de um antibiograma estadual, com benchmark específico de cada instalação, de forma a permitir a comparação dos resultados individuais aos dados estaduais agregados (por organismo e droga).

Foram analisados antibiogramas agregados com dados referentes ao período de 2008 a 2018 sobre a susceptibilidade de Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae a antibióticos específicos – carbapanêmicos (meropenem e imipenem), fluoroquinolonas (levofloxacina e ciprofloxacina), gentamicina e ceftriaxona. Foram realizadas análises de regressão multivariada por meio de modelos mistos lineares generalizados (Generalized Linear Moxed Models – GLMMs) para examinar a existência de associações entre características hospitalares e tendências de susceptibilidade. Foi realizada uma análise de tendências a nível de instalação.

Quais os principais resultados?

  1. coli e K. pneumoniae mostraram tendências inversas na suscetibilidade aos medicamentos ao longo do tempo. A suscetibilidade de K. pneumoniae às fluoroquinolonas aumentou 5% entre 2008 e 2018; em contraste, a suscetibilidade da E. coli diminuiu à ceftriaxona (6%), gentamicina (4%) e fluoroquinolonas (4%).

Os hospitais da região de Boston – capital estadual e a 21ª cidade mais populosa dos EUA -obtiveram resultados particulares. Quando comparados aos hospitais de Boston, isolados de E. coli de hospitais em outras regiões tiveram uma proporção >4% maior de suscetibilidade à ciprofloxacina e uma proporção >3% maior de suscetibilidade à ceftriaxona. Isolados de K. pneumoniae tiveram maior suscetibilidade à ciprofloxacina (> 3%) e ceftriaxona (> 1,5%) em todas as regiões quando comparados aos hospitais de Boston.

Quais as conclusões e recomendações finais?

A vigilância em saúde pública com a utilização de antibiogramas gerados por hospitais pode ser útil para monitorar a resistência antimicrobiana, discernir diferenças regionais e nas instalações, e para detectar mudanças nas tendências.

Os autores ressaltam que a aumentada susceptibilidade de K. pneumoniae a fluoroquinolona e ceftriaxona pode ser resultado de melhores práticas de controle de infecção que focaram no espectro estendido de bactérias produtoras de lactamase.

Quais as limitações do estudo?

Os autores ressaltam algumas limitações, entre as quais: design ecológico que não permite a inferência da influência de mudanças de políticas ou guidelines nas tendências; além disso, os isolados representados nos antibiogramas foram as culturas iniciais de cada paciente e, portanto, podem ter sido subestimadas as resistências antimicrobianas emergidas durante a trajetória terapêutica.

Que críticas e observações finais?

O estudo nos coloca em contato com um sistema muito interessante de monitoramento a nível estadual. Durante o período do estudo o departamento de saúde pública de Massachusetts estruturou e solidificou um sistema de monitoramento incluindo coleta, verificação de dados e feedback a nível estadual e de instalação. A possibilidade de haver não apenas a coleta, mas também análise e feedback da situação podem ser muito benéficos também a nível de práticas institucionais e individuais.

Além disso, ressalto a aplicação notavelmente bem-feita das diversas análises estatísticas e epidemiológicas.

Fonte: Vo QT, Klevens RM, Bostorff B, Barton K, Cumming M, Blumenthal JA, DeMaria A. Utilization of cumulative antibiograms for public health surveillance: Trends in Escherichia coli and Klebsiella pneumoniae susceptibility, Massachusetts, 2008-2018. Infect Control Hosp Epidemiol. 2021 Feb;42(2): 169-175.

Sinopse por: Maria Julia Ricci

Contato: [email protected]



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.